Origem

Nos primeiros anos do século XIX, Porto Alegre contava com 12.000 habitantes, os quais se agremiavam em confrarias religiosas cujas celebrações eram realizadas na Matriz de Nossa Senhora Madre de Deus, única igreja da cidade à época. Nela, funcionavam várias irmandades, entre as quais, a Irmandade de Nossa Senhora das Dores, que ansiava em ter sua própria capela. Fundada em 1801, a confraria foi reunindo fundos, até que, em 02 de fevereiro de 1807, foi assentada a pedra fundamental da Igreja de Nossa Senhora das Dores, entre a antiga Rua do Cotovelo, atual Rua Riachuelo, e a Rua da Praia, atual Rua dos
Andradas. Em estilo eclético, a igreja é uma importante referência histórica e cultural de Porto Alegre; a nível nacional, seu reconhecimento ocorreu em 1938, aproximadamente trinta anos após a conclusão da obra, quando o templo foi tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

O longo período de construção da Igreja das Dores nos permite observar as diferentes fases de sua história. Os aspectos formais e estilísticos de sua fachada, edifício e decoração nos apresentam um breve relato sobre o amalgama de influencias artísticas que
somaram-se nos anos de sua construção, não só as modificações das técnicas construtivas que foram transformando-se ao longo da história, mas também todas as camadas de pinturas que ornamentaram suas paredes e acrescentavam uma história à cada demão.


Assim, podemos afirmar que o templo foi moldado por uma variada rede de influências (lusitana, hispânica, alemã, italiana e, principalmente, nativa e brasileira) e, cada novo olhar do fiel, ou visitante, enriquece, pois traz consigo sua própria experiência.

 

A Igreja de Nossa Senhora das Dores, ao longo de seus 100 anos de construção e mais de 200 anos de existência, está inteiramente ligada à história de Porto Alegre. Com sua arquitetura centenária, a igreja tornou-se patrimônio histórico e cultural, e merece ter sua história preservada.

Coro
 

Bens Culturais

A Igreja Nossa Senhora das Dores possui um acervo de aproximadamente 2.000 mil itens, com objetos de diferentes tipologias: esculturas, pinturas, objetos litúrgicos, paramentos, livros e documentos. Estes objetos de valor devocional, artístico e histórico,
estão hoje documentados e organizados em um espaço dentro do edifício, destinados ao trabalho técnico e a pesquisa. Algumas das imagens inventariados compõem o espaço litúrgico, e estão à disposição do público para contemplação.

Nossa Senhora das Dores

Nossa Senhora das Dores (metade do século XIX) – encontra-se no Altar-mor da Igreja Nossa Senhora das Dores. É uma imagem em tamanho natural, considerada a peça central da igreja. Ela está envolta em um manto violáceo, e trata-se de uma escultura feita em madeira de roca, policromada e com carnação.

Senhor dos Passos

Senhor dos Passos (final do século XVIII) – encontra-se na reserva técnica da igreja. É uma imagem de procedência desconhecida, de madeira, com olhos de vidro e cabelo natural

São João de Nepomuceno – encontra-se ao lado esquerdo do observador no Altar-mor. Foi doada pelo Segundo Governador e Capitão-General da Capitania Geral de São Pedro, Marquês de Alegrete em 1818. Ele também foi protetor da Irmandade Nossa Senhora das Dores de 1815 a 1818. Trata-se de uma escultura de madeira, com policromia e carnação rósea.

São José – encontra-se ao lado direito do observador no Altar-mor da igreja. Foi doada, em 1818, pelo Irmão benfeitor José Antônio de Araújo Ribeiro, fundador da Barra do Ribeiro e, posteriormente, Prior da Irmandade Nossa Senhora das Dores (1825–1826). É uma escultura de madeira, que apresenta policromia, olhos de vidro e carnação rósea. Traz no colo o Menino Jesus.

Nossa Senhora das Dores – encontra-se em uma redoma, na entrada lateral da igreja. Esta imagem foi doada em 1820 por Rita de Mello Azevedo Coutinho, para substituir uma imagem de Nossa Senhora das Dores que havia sido queimada num incêndio que atingiu o Consistório, no ano anterior.

O Grande Crucifixo (1858) – encontra-se ao centro do Altar-mor da igreja. E uma escultura de madeira com policromia e carnação.

Sete Passos da Paixão de Cristo

Sete Passos da Paixão de Cristo – É um conjunto de seis imagens de madeira esculpidas, e com policromia. O escultor é desconhecido, somente sabe-se que estas imagens vieram de Portugal, em 1871, e que foram encomendadas pelo Prior Jubilado da Irmandade Lopo Gonçalves Bastos. As imagens estão colocadas nos nichos laterais do templo. Estas imagens fazem da igreja um templo dedicado à paixão de Cristo e sua mãe dolorosa.


Representam:
1) O Senhor do horto com o anjo
2) O Senhor da Prisão
3) O Senhor da Coluna de Flagelação
4) O Senhor da Pedra Fria
5) O Senhor da Cana Verde
6) O Senhor dos Passos
7) O Senhor crucificado, com Nossa Senhora das Dores aos pés da cruz, que preside o retábulo do altar-mor.

Imagem do Nosso Senhor Morto

Imagem do Nosso Senhor Morto – Imagem de origem desconhecida, de madeira, carnação e braços articulados. Utilizada na cerimônia de crucificação na sexta feira santa. O nicho (esquife) para abrigar esta imagem foi feito em 1875, pelo artista Francisco Augusto Guimarães. A imagem, de origem desconhecida, possui braços articulados.

Sagrado Coração de Jesus e Sagrado Coração de Maria (1909) – Localizadas abaixo do arco do cruzeiro, as duas imagens em gesso, originárias de Barcelona (Espanha), foram trazidas pela Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria –Padres Claretianos, que administraram os serviços religiosos da Igreja Nossa Senhora das
Dores na primeira metade do século XX.

 

Restaurações

Desde a conclusão das obras, em 1904, a Igreja de Nossa Senhora das Dores, passou por diversas intervenções de caráter emergencial. Há registros de restaurações desde a década de 1920, e grandes intervenções nas Capelas laterais, e estruturais.

Torre

Na década de 1980, o estado de conservação da igreja era precário e com o apoio da comunidade e órgãos públicos, novas intervenções começaram a ser realizadas. Em 1980 parte do telhado e do forro sofreram intervenções emergenciais. Em 1996 foi
restaurada a capela-mor, e em 1998, a escadaria. Em 2001 a paróquia dedicou esforços para a restauração do interior da Igreja com financiamentos via leis de incentivo estadual.


Neste período foram realizadas obras nas instalações elétricas e de telefonia. Em 2003 iniciaram-se as obras de restauração dos bens integrados (forro da nave, retábulos laterais, púlpitos, pinturas murais e parte do acervo de arte sacra).


A restauração do exterior da igreja foi financiada pelo Programa Monumenta, do Ministério da Cultura. As obras incluíram a restauração do telhado, torres e escadas de acesso, parte das esquadrias, pintura da fachada, troca do piso da nave principal,
restauração do coro, e obras de acessibilidade, como rampas de acesso e banheiros para portadores de necessidades especiais.

Detalhe restauração

Em 2017, incentivado pela Lei de Incentivo a Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, foi dado início à nova fase de restauração da igreja, que incluiu a recuperação dos Bens Integrados da Igreja das Dores – forro, capela-mor, altar-mor, pinturas murais da capela-mor, arco cruzeiro, portas laterais e tribunas da capela-mor; janelas e retábulo da Capela do Santíssimo; instalações da reserva técnica para guarda do acervo; instalação do PPCI (Plano de Prevenção Contra Incêndios); e a realização de obras de recuperação no telhado.


As pessoas que trabalharam para a realização e construção da Igreja de Nossa Senhora das Dores, assim como os pertences que esta possui, salvaguardados como parte do acervo, transformaram a história deste monumento em um processo humano de
perpetuação da memória da cidade. Assegurar a conservação desta Igreja, por seu valor histórico e cultural, é garantir a preservação da própria história de Porto Alegre.

 

Educação Patrimonial

A Paróquia Nossa Senhora das Dores está aberta diariamente para visitação, e conta com o serviço de visitas mediadas no interior e exterior da igreja, com foco na história, arquitetura e seus bens culturais. As mediações estão disponíveis, com agendamento prévio, para escolas de ensino fundamental e médio, universidades, agências de turismo, e público em geral. 
Para agendar sua visita, favor enviar email para igrejansdasdores@gmail.com.

Visita guiada
 

Endereço: Rua Riachuelo, 630, Porto Alegre, RS, Brasil

CEP 90010-270

Telefone: +55 51 32287376

e-mail: igrejansdasdores@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram
  • YouTube